O Estado e a cena do crime

Frentes de pesquisa e formação da unifesp para enfrentar a violência de Estado no brasil.

Em uma época de negação dos horrores da ditadura civil-militar brasileira (1964–1985), de casos chocantes e cotidianos de violência policial, em especial contra a população negra e periférica, e em que a ameaça de impunidade ainda maior para esses crimes paira sobre a sociedade, este documentário busca apontar a continuidade dessas violações desde a ditadura até o período democrático através do relato de pesquisadores das áreas de antropologia e arqueologia forenses.

Indo do esforço de identificação das ossadas encontradas em 1990 na vala clandestina do Cemitério de Perus, passando pelo genocídio indígena durante a ditadura e pelos Crimes de Maio de 2006, até chegar em chacinas e crimes bárbaros cometidos nos dias de hoje por forças ligadas direta ou indiretamente às instituições de segurança pública, esses relatos constituem uma denúncia grave ao Estado brasileiro e um retrato dos esforços para que cesse a violência que ele dirige contra seus próprios cidadãos.

10º episódio da série Unifesp 25 anos: Universidade Pública, Conhecimento Público

O Estado e a cena do crime (documentário principal)

saiba mais: Lasintec e democracia securitária

saiba mais: Centro de Antropologia e Arqueologia Forense: metodologias

saiba mais: Formação em antropologia e arqueologia forense

saiba mais: A arqueologia do genocídio das populações indígenas

saiba mais: Violência de Estado: um diagnóstico

saiba mais: Centro de Antropologia e Arqueologia Forense: novas frentes de atuação

Produção para a Universidade Federal de São Paulo.

Patrocínio: AFIP — Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa.

com a participação de:

créditos:

músicas:

charges:

filmes:

imagens adicionais:

agradecimentos: